sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Enfim 2010!





Para mim o ano de 2009 passou tão rápido e quando chegou dezembro, a eminência do seu término e todas aquelas obrigações de final de ano (compra de presentes, amigo secreto, etc.) acabaram com as minhas energias... Por isto resolvi passar o Reveillon aqui em Porto Alegre, na minha casa e sem muita função. Só eu, o Rodrigo e os gatos. Entretanto, apesar de não estar no espírito de grandes comemorações, a noite era de festa e para mim um novo ano sempre deve ser celebrado! Arrumei a mesa com velas, frutas e taças de cristal e servi uma ceia bem delicada para harmonizar com o nosso primeiro espumante francês. Fiz crepes de queijo gruyère ao alho poró, tomates cereja recheados com gorgonzola e uma picanha suína assada no forno. Tomamos um Crémant de Bourgogne Brut, da região de Côte d’Or, produzido por François Labet. Segundo a Larousse do Vinho (2007), o termo crémanté, originário da região de Champanhe, designava inicialmente os vinhos fermentados na garrafa a uma pressão inferior a dos espumantes. Na Borgonha, este termo é aplicado aos espumantes de alta qualidade. São utilizadas principalmente cepas chardonnay, pinot noir, sacy, aligoté e gamay, e os controles de qualidade são muito rigorosos. 
Quanto à análise do espumante... Minha paixão pelos tintos é antiga e ano após ano posso notar a evolução no meu paladar, que está bem consolidado. Já minha simpatia pelos espumantes é mais recente, ainda não tenho “litragem” para analisar suas características com segurança, por isto algumas vezes não me sinto muito confortável em opinar sobre rótulos mais imponentes... É inegável que este é um espumante de qualidade superior, mas o meu paladar está mais acostumado aos espumantes produzidos aqui na serra, que são mais aromáticos. Eu gostei deste porque é um brut bem seco. Achei os aromas muito sutis e o sabor, disfarçado pela marcante sensação de “agulha”, provocada pelo gás carbônico. Perlage de média a fina, inicialmente abundante, mas com pouca persistência. Já a relação custo/benefício... Compramos este Crémant em promoção no Armazém dos Importados na Rua Padre Chagas há dois meses atrás, por R$ 64,50. Foi uma boa compra porque seu preço original é em torno de R$ 90. Digamos que ainda não está compatível com o meu bolso e o meu paladar, mas vale a experiência, especialmente em ocasiões especiais.



Nos programamos para assistir a queima de fogos na Usina do Gasômetro. Por volta de 11h já havíamos jantado e resolvi chamar um taxi para nos levar até lá.. Eu moro a 12 minutos (a pé) da Usina, mas achei que seria perigoso, que as ruas estariam desertas, nem quis levar câmera fotográfica... Quando cheguei na portaria do prédio senti o fiasco, a rua estava super movimentada, repleta de pessoas se deslocando até lá... Tudo bem, apesar de ter nascido e me criado nesta cidade nunca tinha passado um Reveillon aqui! A gente aprende na primeira vez... O show de fogos foi lindo, o clima das ruas estava bem legal, muita gente, todos festejando de maneira civilizada! Mas foto, só com a câmera do celular mesmo... Obviamente, voltamos a pé! 
Para encerrar a noite, cheesecake de amoras harmonizado com um late harvest chileno da Vinícola Tarapacá (2006), corte de Sauvignon Blanc e Gewürztraminer. Este vinho de sobremesa foi uma grata surpresa, bem aromático (predominância de fruta tropical), doce na medida certa, muito gostoso. Tinha um pouco de preconceito contra os late harvest, pois já tive um insucesso em outra compra, mas este estava excelente. Harmonizou perfeitamente com o azedinho da amora e o doce da geléia que cobre o cheesecake. 
Posso dizer que o nosso 2009 foi gastronomicamente encerrado em grande estilo. Que 2010 venha repleto de aromas e sabores para inebriar nossas vidas!

4 comentários:

  1. Feliz Ano Novo amigaaaaaa!!!!!
    ...rsssss eu vou ir na tua casa comer esse cheesecake.

    Bjuus

    ResponderExcluir
  2. Alexandro Schwanck6 de janeiro de 2010 15:20

    Olá Juliana,

    Muito legal essa idéia de criar um blog, acessei por recomendações da Vanessa. Também gosto de ir para a cozinha e, amanhã receberemos aqui em casa uma amiga nossa e a Nessa quer que eu prepare a massa que vocês comeram lá no vale dos vinhedos, já peguei o passo à passo, acho que não terei maiores dificuldades.

    ResponderExcluir
  3. Que bom que tu gostou do blog Ale!!! Essa massa não tem erro, com certeza as gurias vão gostar!

    ResponderExcluir
  4. Oi Juliana,entrei por acaso pq sou enófila.. e estarei amanhã no zaffari higienópolis p a degustação dos vinos miolo.
    Mas o q estou rindo aqui..é q temos algumas coisas em comum..observadora,gatos,e um doutorado caótico..srrsrs bah!Ah..mas eu adoro receber ..e fazer algo diferente..mas gosto muito ad minha companhania!Pq..''primeiro a gente tem q se amar p depois,sim,ter o q ofercer ao ao outro''abraço

    ResponderExcluir